Nenhum De Nos

Judul lagu Name penyanyi Penulis lirik Penyusun Tanggal rilis Lirik pertama

Sangue Latino

Nenhum De Nos none none none Jurei mentiras e...

Sobre O Tempo

Nenhum De Nos none none none Os homens trocam...

Jornais

Nenhum De Nos none none none Quantos filhos esperaram...

Camila, Camila

Nenhum De Nos none none none Depois da última...

Da Janela

Nenhum De Nos none none none DA janela eu...

Eu Caminhava

Nenhum De Nos none none none Eu caminhavaMinhas pernas...

Sangue Latino

Jurei mentiras e sigo sozinho
Assumo os pecados
E os ventos do norte não movem moinhos
E o que me resta é só um gemido
Minha vida, meus mortos, meus caminhos tortos
Meu sangue latino
Minha alma cativa
Rompi tratados, trai os ritos
Quebrei a lança, lançei no espaço
Um grito, um desabafo
E o que me importa é não estar,
E o que me importa é não estar,
E o que me importa é não estar vencido

Sobre O Tempo

Os homens trocam as famílias
As filhas, filhas de suas filhas
E tudo aquilo que não podem entender
Os homens criam os seus filhos
Verdadeiros ou adotivos
Criam coisas que não deviam conceber

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover.. êê,êê

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover.. êê,êê
Se mover… êê,êê

O passado está escrito
Nas colunas de um edifício
Ou na geleira
Onde um mamute foi morrer
O tempo engana aqueles que pensam
Que sabem demais que juram que pensam
Existem também aqueles que juram
Sem saber

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover… êê,êê

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover.. êê,êê
Se mover.. êê,êê

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover.. êê,êê

O tempo passa e nem tudo fica
A obra inteira de uma vida
O que se move e
O que nunca vai se mover..
Se mover..

Jornais

Quantos filhos esperaram a chegada de seus pais
Tantos deles não vieram Não chegaram nunca
A calçada não é casa, não é lar Não é nada
Nada mais do que um caminho que se passa
Tão estranho pra quem fica… pra quem fica
As palavras no asfalto, nessa vida são tão duras
O carinho não consola mas apenas alivia
A calçada não é cama Não é berço Não é nada
Nada mais nos faz humanos sem afeto
E o medo é um abraço tão distante de quem fica

(REFRÃO)
Onde vai? Nós estamos de passagem
Onde vai? Onde a rua nos abriga
Onde vai? Estamos sempre de partida
Onde vai? Onde a rua nos abriga desse frio

As pessoas que se enrolam nos jornais não são mais notícia
Elas não esperam de um papel de duas cores mais que um pouco de calor
A calçada não é pai Não é mãe Não é nada
Nada mais do que um abrigo, um refúgio
Tão estranho pra quem passa… Pra quem passa

(REFRÃO)

(REFRÃO 2X)

Camila, Camila

Depois da última noite de festa
Chorando e esperando amanhecer, amanhecer
As coisas aconteciam com alguma explicação
Com alguma explicação
Depois da última noite de chuva
Chorando e esperando amanhecer, amanhecer
Às vezes peço a ele que vá embora
Que vá embora…oh…

Camila, Camila, Camila

Eu que tenho medo até de suas mãos
Mas o ódio cega e você não percebe
Mas o ódio cega

E eu que tenho medo até do seu olhar
Mas o ódio cega e você não percebe
Mas o ódio cega

A lembrança do silêncio daquelas tardes
Daquelas tardes
A vergonha do espelho naquelas marcas
Naquelas marcas
Havia algo de insano naqueles olhos,
Olhos insanos
Os olhos que passavam o dia a me vigiar, a me vigiar…oh…

Camila, Camila, Camila
Camila, Camila, Camila

E eu que tinha apenas 17 anos
Baixava a minha cabeça pra tudo
Era assim que as coisas aconteciam
Era assim que eu via tudo acontecer
E eu que tinha apenas 17 anos
Baixava minha cabeça pra tudo
Era assim que as coisas aconteciam
Era assim que eu via tudo acontecer

Camila, Camila, Camila
Camila, Camila, Camila

Da Janela

DA janela eu vejo a rua
Onde ela caminha todo o dia
Todo o dia
Ela passa
E sempre acha graça quando me vê

Ela passa tão depressa
Que eu não tenho tempo
E nem coragem
De abrir a boca e fazer a pergunta que eu ensaiei

(chorus)
Você ainda me ama
Me ama
Eu sei que no fundo, bem no fundinho
Você ainda me ama

Da janela eu vejo a rua
Onde ela caminha
No fim do dia
NA volta pra casa
Já está tão escuro que ela nem me vê mais

Mas eu tenho que chamar
Eu tenho que gritar
Eu tenho que fazer ela parar
Quem sabe até fazer ela voltar
Eu tenho mesmo é que perguntar

(chorus)

Eu Caminhava

Eu caminhava
Minhas pernas se encontravam, se despediam
Vencendo cruzamentos, ganhando esquinas
Chegando a lugares que de longe eu enxergava
Um estranho, encostado na parede mostrou os braços
Longos brancos braços marcados, ofereceu-lhe a prisão
Longos dias contados, entre um tiro e um espelho eu o deixei

(REFRÃO 2X)
Eu caminhava e fingia que o tempo passava
Eu caminhava e fingia…

Eu caminhava e fingia que conhecia as pessoas
E fingia que gostava de alguém e fingia que o tempo passava
Eu caminhava e fingia que conhecia as pessoas
E fingia que gostava de alguém e fingia que o tempo passava, passava…

(REFRÃO 2X)
Eu caminhava e fingia que o tempo passava
Eu caminhava e fingia…

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z #
Cari Lirik ?

Nama Artis

Judul Lagu

frase lirik

TV show, mocie, anime, korea, japanese, india dorama

Penulis lirik, komposer